SAÚDE BEM ESTAR

Viva mais! Viva Melhor!

Saude A-Z

H5N1: A gripe do frango


A princípio surgiu na década de 90, uma epidemia de gripe infectou a criação de frangos em Hong Kong, quando também foi constatada a morte de um homem ao ser infectado pelo vírus transmissor da doença, apelidada posteriormente de H5N1.

Na ocasião foram sacrificadas mais de um milhão e meio de aves em Hong Kong, com o intuito de evitar a propagação da doença.

Cerca de 95% da população de frangos foram mortos.

Porém no início de 2003 surgiram casos também na Coréia do Sul, onde milhões de aves foram sacrificadas, mesmo assim foram relatados vários casos da doença em criadores de frango.  


Hoje em dia a doença é encontrada em pelo menos 36 países ao redor do mundo.

A taxa de mortalidade é assustadora, mais da metade das pessoas infectadas pela gripe aviária, morreram em consequência das complicações da doença.

Pesquisadores estudam métodos de controlar casos da gripe do frango com o objetivo de impedir uma pandemia da doença.

H5N1

H5N1: Causas

A mutação do vírus Influenza A, ou seja, o vírus sofre transformações constantes que alteram o formato das proteínas, impedindo assim que os anticorpos fabricados contra essas proteínas virais sejam eficazes. 

Transmissão do H5N1

O vírus é transmitido através do contato das pessoas com aves doentes.

A transmissão também ocorre de pessoa pra pessoa, através de contato com objetos infectados, contato com saliva das pessoas que contraíram a gripe aviária.


Além disso, o vírus H5N1 se mantem por longos períodos de tempo no meio ambiente. Aumentando a possibilidade de proliferação por meio de contato.

Sintomas de Gripe aviária (H5N1)

Infelizmente, dependendo do tipo, os sintomas se assemelham muito aos de uma simples gripe; que são: febre, dor de cabeça, dor muscular, garganta inflamada e dificuldade para respirar.

Em alguns casos também foram observados sintomas como: vômitos, diarreias e conjuntivites.

O diagnóstico correto deve ser feito através de exames laboratoriais, com amostras de fluidos e exames de imagem como raios –x, que avaliam as condições do pulmões, é possível fazer análise e detectar a presença do vírus.

Esses cuidados devem ser tomados logo no início dos sintomas, para que o tratamento inicie o mais rápido possível.

Apesar de muitos vírus, com a mutação, se tornarem mais resistentes ao tratamento, é possível tratar os sintomas com antivirais.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) a cada ano, colhe novas amostras dos vírus em diversas partes do planeta, afim de desenvolver anticorpos capazes de combater o vírus.

Pessoas portadoras do H5N1, podem desenvolver sérios problemas de saúde e por consequência chegar a óbito; pneumonia, doença renal, insuficiência cardíaca; são algumas das complicações severas.

Não existe uma média de idade para as pessoas contaminadas, porém a idade avançada, doenças preexistentes, são fatores de risco.

O recomendado é que sejam tomados todos os cuidados com higiene pessoal, evitar lugares aglomerados, evitar ingerir alimentos de origem animal mal cozidos ou crus, além de se prevenir com vacinas antivirais.

Saúde & Bem Estar


Compartilhe!

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *